Aleix Valls: "A Feira do Móvel De ESTADOS Não Prejudicará O MWC De Barcelona" 2

Aleix Valls: “A Feira do Móvel De ESTADOS Não Prejudicará O MWC De Barcelona”

Aleix Valls é um vasto especialista da indústria móvel e do meio ambiente empreendedor português e internacional. A pergunta. Quais são as novidades são esperadas pro próximo MWC? Resposta. A principal novidade tanto no Mobile World Congress (MWC), como o 4YFN é que isso do celular não é somente um negócio dos suspeitos do costume: Samsung, os Qualcomm, os Apple ou as operadoras.

Cada vez vêm mais setores do que chamaríamos não digitais, devido à chamada transformação digital, que é uma agenda urgente de toda a empresa. Isso é uma questão que leva as organizações, sejam do setor, e que sejam, a ambicionar vir a Barcelona para ser expositoras, a mencionar tuas estratégias digitais e a compreender quais são seus potenciais parceiros pra assumir esse processo de transformação.

P. em ligação às novidades tecnológicas, o que será? R. Continuaremos analisando muita realidade virtual, depois da forte aposta do ano passado a Samsung e Facebook, e continuaremos vendo mais e mais a inteligência artificial. Mas, qualquer coisa chave, que veremos é que isso do móvel deixou de ser em tão alto grau B2C (aplicativos que procuram milhões de utilizadores pra baixadas e vender tema ou conceitos de inscrição) pra ser bem mais B2B. Com o web das coisas, com o impulso da nuvem, vemos que estão se projetando ainda mais soluções mobile first pensadas imediatamente pra organizações, e não para o freguês.

A digitalização do consumidor é óbvia, e a gente cada vez acessa mais a web a partir do celular. Aí temos a Facebook, onde mais da metade de seus usuários são apenas móveis. Sendo assim, se as organizações querem prosseguir a ser relevantes e não perder quota de mercado necessitam de uma estratégia digital, e que esta bem como seja móvel. Esse defeito poderia ter impactado no teu calendário.

em Relação ao lançamento do MWC América, não acho que dê origem a qualquer dano. Também existe, desde há numerosos anos, outro Mobile World Congress, pela Ásia, e não aconteceu nada. O que ocorre em Barcelona é único e o que vai suceder pela Ásia e nos EUA em setembro, onde assim como teremos uma edição de 4YFN em San Francisco) é complementar.

  • Atribui dorsais Afellay e Bacia
  • o Que publicação de venda não receber cliques, etc
  • O envolvimento dos CEO, disciplina pendente da transformação digital
  • COERÊNCIA DO ANÚNCIO

O MWC da América quer ser assim como uma porta de entrada para o mercado latino-americano, que é o que tem menor presença em Barcelona. A feira de Barcelona converteu-se na agenda irrecusável da indústria, no lançamento do item, na sua agenda para fechar acordos ao mais grande grau. E a nível de calendário pras organizações asiáticas é uma etapa maravilhoso pra se introduzir com seus diretores europeus e americanos no meio do caminho. Isso é uma questão que de imediato detém Barcelona. Você vai ter Xangai e os EUA? Não. A relevância de Barcelona, como o evento em peso estratégico pra indústria, será indiscutível e eu acredito que vai ser o contrário.

O MWC América poderá fazer com que venha mais gente a Barcelona e para que esta cidade se siga posicionando-se ainda mais. P. Mas não pode ocorrer que deixem de vir primeiros espadas como Mark Zuckerberg, que preferem aderir ao MWC América? R. Não acho que se irão ressentir-se as conferências.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima