De Ilusão Também Se Vive 2

De Ilusão Também Se Vive

Paulo despertou sobresaltada naquela manhã. O dente de leite que cuidadosamente havia depositado ante o teu travesseiro já não estava lá. “É excelente como uma coisa tão fácil podes fazer feliz um peque”, admitem Natalia e Anna, ajudantes espanholas do famoso Ratinho Pérez e de seus amigos, Papai Noel e SS.

MM. os Reis Magos. As jovens falam com discernimento de causa. Foram distribuídas milhares de cartas, contos e certificados especiais de esses mágicos protagonistas com o selo de Vila Pérez, o Pólo Norte ou o extremo Oriente. Tudo começou há alguns anos, no momento em que estudavam nos EUA. “Descobrimos que lá Papai Noel respondia às mensagens das criancinhas e nos deu muita inveja.

  1. Trichloromethane (CH
  2. O marketing de afiliação e a difusão em audiências de terceiros
  3. Atitude do plano, os princípios de planejamento
  4. Interpol tem só identificados a 5.600 dos 25.000 combatentes da jihad
  5. três Itens novos e bairro novo
  6. Capítulo 2×194 (418) – “Seguindo o Meu Caminho”
  7. Presidente do setor Externo Juvenil do PRD de 1988 a 1990

Com todas as cartas que nós tínhamos enviado pro Papai Noel e os Reis Magos, sem jamais ganhar resposta! Assim que as duas resolveram entrar em contato com suas Majestades. “Disseram-Nos que era por ausência de auxílio e nós oferecido a contribuir. Em pouco tempo, o Ratinho Pérez descobriu e bem como nos pediu socorro para poder surpreender as criancinhas quando lhes cai um dente”, relatam. Desde assim sendo, as relações foram tão bem sucedidas que as crianças são fundado a sua própria empresa, Especialistas em ilusões. Um mundo idealizado pra acudir os pais a surpreender seus filhos.

“Nossa alegação é dar ilusões e emoções, pra que os mais menores continuem acreditando na magia. Ao fim e ao cabo, Para elas, a tarefa é um verdadeiro honra. “Sempre fomos 2 espíritos inquietos com desejo de montar um projeto respectivo. Porém, no momento em que começamos, não sabíamos que sentiríamos uma euforia tão enorme”, diz Anna.

Natalia lhe oferece a razão: “Não se trata só de ter montado alguma coisa por nós mesmas e poder continuar a trabalhar nisso após cinco anos, entretanto o negócio em si. Temos arrancado diversos sorrisos, provocado lágrimas de alegria e nervos. Quando um cliente nos conta isto, não há superior recompensa”. Reconhecem que as cartas estão em desuso.

Talvez desta forma, ilusionan o dobro. E não apenas para as crianças. “Mas eles são o nosso público principal, a todo o momento que enviar uma carta para um adulto é muito admirado. Estamos perdendo o deslumbrante costume de enviar cartas ou postais, e é uma pena”, dizem. De instante, compaginan seu trabalho de referenciar e citar com outras atividades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima