Encontro Digital Com Rosa Montero 2

Encontro Digital Com Rosa Montero

Fiquei maravilhado com o tom calmo com o que a personagem descreve os horrores da disputa, no início da novela (vou por a pag. Na realidade, acho que era um mundo em que a existência humana não tinha nenhum valor. Especialmente se você fosse escrava, como é Leola. Os camponeses do século XII eram tratados como bestas de carga, e carne de canhão nas disputas. Aos 15 anos de idade, que é quando começa a novela, ela só conhece isto. 2. Teve que pesquisar muito nos costumes, objetos, vocabulário,etc., A verdade é que sim, muito, entretanto o método foi interessado, ao contrário do que o usual.

eu gosto muito da história, e fará 10 anos ou desse modo, eu tive uma época de paixão leitora dos livros de história medieval. Porque estava metida por este habitat mental é então que me veio à cabeça a novela, e eu comecei a pegar notas e a desenvolvê-la. 3. Quais são os referentes literários de que se tenha servido para digitar esse romance?

Uf, tudo, absolutamente tudo o que eu prontamente li na minha vida, e tudo o que imagino, tudo o que eu sou. Não lhe parece que temos avançado insuficiente durante os séculos? Pois a verdade é que eu sou otimista e acho que nós avançamos muito. Lembre-se que até bem entrado o século XX (em Portugal acho que até 1911 ou dessa forma) as mulheres nem sequer podiam preparar-se pela universidade.

E que até quase meados do século XX, não podíamos nem votar. No final, acho que o avanço foi grande, entretanto é claro que o sexismo ainda perdura e que algumas vezes te desesperas no dia a dia. E sim, você tem causa, não tenho dúvida que, metaforicamente, Leola nos representa. 5. Rosa, parece ter em si uma tendência quase natural para elaborar personagens que se emancipan do pedido a partir da loucura.

Porque acontece isto? Contudo, eu não acho que meus protagonistas são emancipen por meio da loucura. 6. Estimada Rosa: Eu sempre transportado pra lugares que eu pensei que nunca mais voltaria. o que queres que te responda? Todos os escritores estamos à espera de leitores tão apaixonados, tão generosos como você. De verdade, muito obrigado.

E, além disso, sinaliza qualquer coisa intrigante: é verdade que este livro não teria podido fazê-lo antes, por causa de eu não teria ousado. Sempre é menos difícil salvar-se em gêneros mais apreciados pela crítica e outros. 7. Seu romance me parece uma jóia. É tão difícil de ler legal literatura, literatura com letras maiúsculas, sem que o autor tenha perdido essa frescura do princípio. Dizia Picasso, que seu intuito era poder pintar como uma criancinha, e algo desta vocação bizarro em alguns escritores.

  • Quem fora o sol, pra entender o afeto, que em tão alto grau ilumina, que aquece o coração
  • Alexandre Córdova (fundador)
  • cinco Feitiços Para Vender Uma Casa: Com Café, Orações E Mais
  • O substituto de Casillas

8. Olá Rosa. É possível preservar intacta a tua sensibilidade em um mundo que nos despelleja cotidiano um tanto? Claro que não. Viver a todo o momento fere, enrugamento, endurece, raja, mancha e contamina. Intactos, nunca estamos, isto desde dessa maneira. Mas não há dúvida que se necessita brigar por prosseguir pensando as coisas a cada dia, por prosseguir sentindo, Por não perder de visão os outros, porque uma existência que se vive sem os outros não é uma existência.

um poderá compensar todas essas cicatrizes do viver com experiência. Os jovens, por exemplo, que viveram myuy pouco costumam ser menos compassivos que o adulto que são portanto. 9. Parabéns, Rosa. Tudo o que você escreve é magia. Mas dessa vez, duplamente. O que novelas incríveis você gostou mais?

Pois a todo o momento incluir alguma coisa de fantasia em seus romances. Sim, se. Para mim, a fantasia faz parte do real. Dentro de mim eu vejo o mundo desse jeito. Eu tenho uma fração muito lógica, muito racional, e outra muito louca, muito ótima. Portanto, essa novela os ingredientes maravilhosos têm uma versão racional, o leitor poderá escolher o que almeja crer.

Eu adoro a literatura fantástica, que pra mim é muito ampla, em razão de eu incluo neste registro de pessoas como Kafka. Mas eu vou lembrar uma autora que eu gosto muito: Ursula K. LeGuinn, e eu recomendo Os livros de Terramar, de uma afecção, ou A mão esquerda da escuridão. São ótimos. Agradeço pelo teu admiração e um beijo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima