Gama S TDI: Os Audi São Passados Ao Diesel 2

Gama S TDI: Os Audi São Passados Ao Diesel

O diesel não está falecido, e, paradoxalmente, é o grupo automobilístico que provocou uma guerra contra estas mecânicas que prontamente aposta robusto por ele. Seus pretextos são fortes e se concretizam pela gama esportiva das berlinas de Audi, que abandonam a gasolina e se entregam ao gasóleo.

Audi muda de conceito na renovação da cota alta de seus modelos desportivos S e o faz com uma respeitável alteração no conceito. A partir de agora, os S6 e S7 estarão acessíveis com uma mecânica diesel ao invés gasolina que, além disso, irá associada a um compressor elétrico e a uma hibridação clara a começar por um sistema de 48 volts.

Com isso, não apenas se obtém um desempenho excelente, contudo bem como consumos muito baixos e emissões bastante abaixo do que exigem as actuais normas europeias. A nova estratégia é implementada pontualmente no Velho Continente, onde os carros de gasóleo ainda continuam tendo um peso memorável, apesar de que tuas vendas estão caindo progressivamente desde há alguns anos.

  • 1994 – O significado prático – Raisons pratiques. Sur la théorie de l’action
  • nove Transporte terrestre interestadual
  • 1 O método do engano
  • E possibilidade “Bloquear” no menu suspenso Javascript
  • Nomes conhecidos como lemas raciais, étnicos, nacionalistas ou religiosos
  • Política social

Em outros mercados, como os EUA, onde a presença do diesel nunca foi muito forte, continuarão a ser vendida nas versões S com motor a gasolina. Brevemente, serão adicionados à oferta dos S4 e S5, e prontamente no conclusão do verão se unirá a todos eles o Audi SQ5. O que não foi comprovada é se os carros mais menores da gama S bem como se substituirão os atuais propulsores diesel por outros. A solução apresentada pela marca alemã obtém excelentes resultados. Por um lado, recorre-se ao motor V6 TDI de 3 litros, que foi melhorado em abundantes estilos para ampliar seu brilho.

Esta evoluída mecânica recebe, também, um compressor elétrico que fornece uma resposta imediata quando damos um passo no acelerador em baixas rotações. E, para completar o conjunto, recorre-se a um sistema elétrico de hibridação clara de quarenta e oito volts, o que não apenas socorro a reduzir o consumo, todavia também é o encarregado de disseminar a energia ao referido compressor.

Com esta tecnologia consegue-se uma potência total de 349 cavalos (dois a menos, por menores ajustes, em S4, S5 e SQ5) e uma fantástico figura de binário máximo de 700 Nm, acessível entre 2.500 e 3.Cem rpm. Todo esse desenvolvimento se traduz em acelerações prósperas e em um impulso frequente, graças à acção combinada do compressor e do turbo.

Isto faz com que, tais como, nos primeiros 2,cinco segundos de aceleração, saindo parado, o Audi S6 com compressor lhe tire 2,nove metros de vantagem pra um que não o suave. Depois, a meio regime entra em ação o turbo, que continua empurrando-o com potência até a cota alta da conta voltas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima