Meu Psicólogo De Quatro Patas 2

Meu Psicólogo De Quatro Patas

Já se compreende que as crianças costumam solicitar a seus pais que lhes comprem um cão, e que nem sequer todos têm a sorte de o alcançar. Há outras garotas, todavia, que não podem requisitar nem ao menos cão nem sequer nada aos seus pais pelo motivo de eles vivem em centros tutelados na administração. Mas, de agora em diante, poderão notar que significa ter um companheiro de 4 patas. É mais, esse comparsa poderá ser fundamental na sua melhoria vital; poderá ser seu psicólogo.

O Mundo passou uma tarde no lugar de termos um par de semanas atrás, na noite em que os cães terapeutas tinham a tua visita semanal. Bau, Volka, Pipa, Jaro, Darwen, Neula Lã e chegam até o recinto, acompanhados de dois terapeutas e uma veterinária. Posam pro fotógrafo, como se o tivessem feito durante toda a tua vida.

Jaro ainda está em criação, que tem sete meses, ele ainda é filhote e está aprendendo o trabalho. O resto, são experientes terapeutas de 4 patas, parecem conscientes de estar realizando uma considerável função. Nada mais entrar, M., um dos caras que vivem no centro de acolhimento, pegue a alça de Neula, um dos cães de pequeno porte do grupo. A próxima hora M. da acontecerá no pátio do centro, “andando”, por intermédio da elaboração de “circuitos”, jogando. Maribel, que muitos dos adolescentes que se beneficiam desse programa também abraçam, diz que “é interessante ter cães fixos porque é deste modo que se criam os links.”

Outra estrela de quatro patas é Bau, labrador preto, delicada, extenso, bem-humorado. E a dança começa. São os jovens, que aprendem a treinar os cães, tempo de aprendizagem partilhada que recolhe resultados surpreendentes. Paula Calvo, pesquisadora da cátedra Fundação Affinity Animais e Saúde, do departamento de psiquiatria e medicina sensacional da Universidade Autónoma de Barcelona.

Paula é a encarregada de determinar as melhorias dos jovens que fazem as terapias assistidas com cães. Agora, estas terapias foram alargadas a 6 novos centros residenciais de Catalunha: em Vic, Cerdanyola del Vallés, Sant Cugat do Vallés, São Fost de Campsentelles, Pontinha e Barcelona. O esquema que empregam, é o “reforço afirmativo”, ou seja, “recompensar as boas ações, ao invés punir as más”. Enquanto uma criancinha educa um animal, um cão, nesse caso, formam-se vínculos entre eles e, ademais, ambos aumentam o seu bem-estar vital.

Miriam Mascato, responsável neste centro do bairro de Sant Andreu onde este jornal tomou contato com crianças, cães e terapeutas. R. você tem dezessete anos e no ano passado fez parcela de uma experiência piloto. Hoje quer ser cozinheiro e conta sua aventura perruna com audácia. “tudo o que eles dão é excelente, eu a todo o momento morei com cães, no futuro, eu adoraria de ter um bulldog inglês, que não é uma raça problemática.

tenho interesse em compreender algumas experiências com eles, se esvaziam a cabeça, eu se pudesse repetiria, uma vez que, se um cão te faz caso, se volta para ti, é porque você está transmitindo coisas boas”. Também se concorda com esse piá de muita altura e sapatos vermelhos resplandencientes de uma ocasião em que a terapia canina consistiu em aproximar-se, todos juntos, para um centro de acolhimento de cães abandonados.

  • Em testes de imagem se observa variação estrutural
  • quatro Exemplos de características comuns
  • Alguns ervilhas ou mirtilos congelados
  • Parula pitiayumí, Parula pitiayumi
  • um Taxa de câmbio
  • 2 Dicas pra alimentação e defecação de gatos filhotes

Isso tem que impactar aquela visita ao centro de cães abandonados que, atualmente, uma vez por mês -“por pedido deles”, explica Maria – vai a uma protetora de cães para visitá-los. Maribel sensibiliza os bebês, lhes ensina a treinar os cães, os fundamentos, as expressões, os exercícios, os tempos.

E, se imprescindível, leva para moradia um dos meninos o encerramento-de-semana, se você anda desgostoso. Também reconhece que não foram fáceis os princípios. O que não diz é que ela imediatamente os venceu a todos, no entanto salta à vista que é portanto. Para avaliar os resultados, são feitas medições antes do programa, ao longo do seu desenvolvimento e até seis meses depois. O que se entende como “taxa de adesão” completa esta história. Os caras não são obrigados a encaminhar-se a esta terapia, uma vez que é voluntária. Concretamente, “a várias atividades não irão”. Mas a terapia canina sim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima