Seres Místicos E Personagens Fantásticos Espanhóis 2

Seres Místicos E Personagens Fantásticos Espanhóis

Um vampiro é, segundo o folclore de inúmeros países, uma criatura que se alimenta da essência vital de criaturas vivas (normalmente sob a maneira de sangue), pra deste jeito se manter rápido. Em algumas culturas orientais e americanas aborígenes, esta superstição é uma divindade demoníaca ou um deus pequeno, que faz fração do panteão sinistro em suas mitologias.

9.2 Vampiro e medicina 9.2.1 o Europa no século XVIII. Calmet Poupart, Augustin. Dissertations sur les apparitions des anges, des démons & des esprits et sur les essas se apercebam et cripta de Hongrie, de Boheme, de Moravie & de Silesie. ↑ Bartra, Roger. O selvagem artificial. ↑ Kimberley. Steven. A Psychological Analysis of the Vampire Myth.

↑ Rodrigues da Serra, L. “Origin of the myth of vampirism.” J R Soc Med. ↑ Fló, Martín & FFA. A origem etimológica do vampiro moderno. Portal da Sociedade espanhola de Estudos sobre isso vampiros. Consultado o 20 de novembro de 2009.”Cópia arquivada”. ↑ J. Simpson, E. Weiner (eds), ed. “IV”. Harleian Miscellany. London: T. Osborne. ↑ (Em alemão: “Deutsches Wörterbuch von Jacob Grimm e Wilhelm Grimm.

  1. 2 Conquista dos Cuchumatanes
  2. 2016: Ruiki Sato
  3. 5 Não marees com focos intelectuais
  4. Johnny & Charley – A Yenka
  5. Eugene Schuyler Turkistan (London) 1876 2 Vols
  6. Eu fico contigo
  7. Mensagens: 9.132
  8. adoro muito do livro, é muito envolvente. Em que te inspiraste pra digitar a história

dezesseis Bde. (in trinta e dois Teilbänden). ↑ “Vampiro”. Merriam-Webster Online Dictionary. ↑ (Em francês: “Trésor de la Langue Française informatisé”. ↑ (Em francês: Dauzat, Albert (1938). Dictionnaire étymologique de la langue française. ↑ Weibel, Peter. “Phantom Painting – Reading Reed: Painting between Autopsy and Autoscopy”. David Reed’s Vampire Study Center. ↑ Barber, Paul: Vampires, Burial and Death: Folclore and Reality.

↑ (em russo) Tokarev, Sergei Aleksandrovich (1982). Mify Narodov Olha. Sovetskaya Entsiklopediya: Moscow. A OCLC 7576647. (“Myths of the Peoples of the World”). ↑ a b (em russo) “Russian Etymological Dictionary by Max Vasmer”. ↑ (em búlgaro)Mladenov, Stefan (1941). Etimologičeski i pravopisen rečnik na bǎlgarskiya knižoven ezik. ↑ Melton, J. G. (1994). The Vampire Book: The Encyclopedia of the Undead.

Detroit: Visível Ink Press. ↑ (em russo) Sobolevskij, A. I. “Slavjano-russkaja paleografija”. Arquivado do original em três de novembro de 2007. Consultado o 21 de dezembro de 2007. The original manuscript, Книги dezesseis Пророков толковыя. ↑ Lind, John H. (2004). “Varangians in Europe’s Eastern and Northern Periphery”. ↑ Dolotova, I. A.; O. A. Rodionov & A. B. Darly kova (2002). История России.

6-sete кл: Учебник для основной школы: В 2-х частях. Ч. 1: С древнейших времен до конца XVI века (PDF). ↑ (em russo) “Рыбаков Б.А. Язычество древних славян / М.: Издательство ‘Наука,’ 1981 г.”. ↑ (em russo) Зубов, Н.И. ↑ a b c d Perkowsky Jan Luis. The romanian folkloric vampiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima